O poder das mídias sociais não pode ser ignorado pelas empresas

Estar presente nas redes sociais de forma estratégica é um imperativo para negócios (e pessoas) que querem se destacar na Nova Economia

POR TARCISIO ALVES
REDATOR E COPYWRITER

As mídias sociais, que surgiram para dar voz e conectar pessoas no ambiente virtual, estão se tornando cada vez mais canais de expressão de marcas, produtos, serviços e influencers, como são chamados os influenciadores digitais.

Que se multiplicam no feed, em meio a posts de amigos, parentes e personalidades. Que eu, você e todo mundo segue.

Se você é empreendedor ou intraempreendedor (e atua como se fosse dono da empresa, buscando sempre inovar para obter melhores resultados), não dá para ignorar a importância das redes sociais para o seu negócio.

Principalmente se a sua operação roda no Brasil — o segundo país onde as mídias sociais são mais usadas. 

De acordo com a empresa de pesquisa GlobalWebIndex, nós, brasileiros, passamos em média 3 horas e 45 minutos por dia navegando nas redes. E, claro, postando.

Isso demonstra que as pessoas, ao mesmo tempo que consomem informação via mídias sociais, também produzem conteúdo.

Mais um fator para as empresas produzirem conteúdo relevante para o público e gerar engajamento.

Se você quiser estar um passo à frente de seus concorrentes, invista em mídias sociais

A empresa que não estiver presente nas mídia sociais e, mais do que isso, não souber explorar as possibilidades de comunicação, conexão e divulgação de forma estratégica, está um passo (ou mais) atrás do seu concorrente.

As mídias sociais dão visibilidade, ajudam a construir marcas, aproximam empresas e influencers de potenciais clientes… Mas, se não forem bem usadas, podem gerar ruídos, crises e, pior ainda, “queimar o filme” da empresa ou do influenciador digital, abalando sua reputação.

Por isso, apesar do ar de informalidade que predomina nas redes, é importante fazer um planejamento estratégico e produzir conteúdo de qualidade, seguindo um roteiro e que esteja de acordo — inclusive no nível da linguagem — com o público que se quer atingir.

Sem falar, ainda, na importância de explorar diferentes formatos: desde microtextos até imagens, passando por vídeos, podcasts, anúncios e por aí vai.

Quanto mais você conhecer seu público, melhor será a experiência para ambos os lados.

Usando como exemplo o Instagram, você pode fazer stories no Instagram, postagens no feed e até vender através dessa rede.

Por isso, além do domínio das plataforma de mídias sociais, é preciso conhecer ferramentas e estratégias de marketing digital.

Observe comprove: o marketing digital permeia TODAS as operações de sucesso na Nova Economia.

Mercado não falta para gestores de mídias sociais

No começo do ano, o LinkedIn publicou um levantamento intitulado Profissões Emergentes, apontando quais são as 15 profissões em alta para 2020.  E, em primeiro lugar, aparece o cargo de gestor de mídias sociais.

Por si, o dado expõe a seriedade com que o tema tem sido tratado pelas empresas no Brasil. Ainda bem.

Houve aumento de 122% na procura por esse profissional no mercado de trabalho brasileiro, entre 2015 e 2019.

Mais uma prova de que mídias sociais demandam uma abordagem profissional.

Isso, se você realmente quiser desenvolver um relacionamento duradouro com seu público e descobrir novas formas de rentabilizar seu negócio.

Até porque as ações nas redes sociais fazer emergir uma série de dados sobre o público e seu comportamento — inclusive com relação a vendas.

Uma análise criteriosa de métricas permitirá à empresa, entre outras ações, corrigir rumos, estruturar melhor seus investimentos em campanhas e, principalmente, expandir seu perímetro de atuação no mundo virtual. 

Sim, a escalabilidade de um negócio passa também pelas mídias sociais.

MBA em Mídias Sociais e Marketing Digital ensina como construir uma marca valiosa 

Estar presente nas redes sociais de forma estratégica é um imperativo para negócios e pessoas que querem se destacar na Nova Economia.

O tema vem sendo tratado com tanto profissionalismo, que já existem até cursos específicos para quem quer dominar as mídias sociais — inclusive em nível de pós-graduação.

Um dos mais completos é o MBA em Mídias Sociais e Marketing Digital, oferecido pela edtech de negócios Be Academy.

E um dos diferenciais, além da grade, é que os facilitadores de conteúdo são profissionais que fazem acontecer no Novo Mercado, em vez de acadêmicos.

Nomes como Tahiana D’Egmont, CMO da MaxMilhas, Tania Gomes Luz, vice-presidente da ABStartups, João Kepler, um dos maiores investidores em startups do Brasil, André Siqueira, cofundador da Resultados Digitais, e Bruno Pinheiro, empreendedor digital e CEO da Be Academy. Entre muitos outros.

A ideia é ensinar — de uma forma extremamente prática — empreendedores, intraempreendedores e profissionais que desejam se atualizar a usar as mídias sociais para atrair pessoas, criar um relacionamento próximo com elas e transformá-las em clientes.

Além, é claro, de saber como construir uma marca valiosa, tanto na internet quanto no ambiente físico.

Outro diferencial é que, ao final das 360 horas do programa, serão selecionados projetos para que seus autores apresentem um pitch para uma banca de investidores, com a oportunidade de receber aportes e parcerias.

Para saber mais informações sobre este MBA, é só clicar aqui.

Não pare por ai!
Veja mais